O Instituto de Cegos da Bahia precisa da sua ajuda

Comprando esta linda pulseira por apenas R$ 10,00, você estará ajudando o Instituto de Cegos da Bahia. O projeto teve como especialista Carlinhos Brown ensinando que existem várias formas de ver o mundo, através da música. São nove cores no total, compre a sua no Instituto de Cegos da Bahia.



Quem é o Instituto de Cegos da Bahia:

O Instituto de Cegos da Bahia (ICB) organização da sociedade civil, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos nasceu do desejo de amparar deficientes visuais de todas as idades que viviam pelas ruas de Salvador sem nenhum tipo de assistência. Partiu do prof. Alberto de Assis a ideia de acolhê-los num espaço único onde poderiam receber a proteção necessária para si e suas famílias.
Sua primeira sede foi em um casarão no Barbalho, doada pelo prefeito Americano da Costa, inaugurada no dia 30 de abril de 1933, onde os albergados viviam com suas famílias e trabalhavam na confecção de vassouras para garantir o sustento. As crianças e jovens que vinham em busca de instrução eram aceitas em regime de internato dirigido no início por freiras. Em maio de 1937 criou-se uma escola, que preparava os alunos até o 5º. ano do antigo curso primário. Aqueles que queriam continuar os estudos iam para o Instituo Normal, hoje ICEIA.
Esta proposta vigorou por alguns anos, até que a Diretoria, tendo à frente a presidente Edla Lima, iniciou em 1959 a construção de um novo prédio, com acomodações mais amplas e confortáveis em terreno existente no fundo do casarão, com a proposta de atender somente crianças e adolescentes deficientes visuais dos estados da Bahia e Sergipe. Essa transformação teve como principal mentora a senhora Dorina Nowill, criadora da Fundação do Livro do Cego e pioneira na integração dos deficientes visuais em escolas da rede regular de ensino. Em 1961 iniciou-se a inclusão sob a responsabilidade da Secretaria de Educação do estado e as crianças deficientes visuais começaram a ser alfabetizadas e integradas às classes regulares.
Esta filosofia permanece até os dias atuais e, após 1998 com a criação do Centro de Intervenção Precoce, o 1º. atendimento antecipou-se passando a ser feito logo após o nascimento se as crianças apresentassem problemas de visão.
Para conseguir atingir seu objetivo, que é a inclusão do deficiente visual na sociedade como cidadão de direitos e deveres, o Instituto atende gratuitamente a todos, sem limites de idade, através destes Centros:
– Centro de Intervenção Precoce – CIP
– Centro de Educação Complementar – CEC
– Centro de Tecnologia da Informação – CETIN
– Centro de Apoio Terapêutico – CAT
– Centro Médico Oftalmológico – CMO
Estrutura Física – A Instituição funciona em 02 prédios próprios, interligados, e 02 anexos.
Prédio 01: Ed. Edla Dória de Lima
Prédio 02: Ed. Manuel Dias Santa Rosa
Anexos 01                                Anexo 02
Oficina de Música                    Produção Braille
Estúdio de Gravação               Cursos de Informática
Oficina de Bengala                  Auditório


Nenhum comentário: