Dudu e a Introdução Alimentar dos Sólidos


Tínhamos a matéria completa sobre o método BLW (Baby Led Weaning), mas algo protelava a saída desta postagem: precisávamos de um bebê autônomo em perfeita exibição do BLW para melhor exemplificar o método. Para nossa sorte, encontramos o Dudu!
Dudu e o método BLW

O Blog Comidinhas de Bebê  apoia o método BLW e a introdução alimentar tranquila com a participação autônoma do bebê. Para quem não conhece o método, refere-se ao  Baby Led Weaning ou o Desmame Guiado pelo Bebê.  

A comida é apresentada ao bebê de forma picada, em tamanhos que o bebê seja capaz de segurar com suas mãozinhas e consequentemente levar à boca através do impulso da descoberta. Existe sim uma "meleira" na casa, ao final da refeição, comida na testa do nenê, no cadeirão e no chão da casa, mas sem esta permissão o método não será possível. O processo no início exige paciência porque realmente precisa deixar que ele conheça as características sensoriais, como cor, textura, sabor e isto começa pelo manuseio do alimento.

De início, ele vai pegar, amassar e com um tempo levará a comida à boca, entretanto para isto, existem alimentos macios que podem favorecer o sucesso do BLW e uma orientação nutricional será necessária para uma perfeita aplicação.

Assim, a criança vai comer o que quiser e no tempo de sua mastigação,  sem  a costumeira pressa dos pais. 
Algumas mães imaginam que esta forma de introdução alimentar gera engasgue, mas nós confirmamos que o método tradicional do uso das papinhas é a mãe que decide a quantidade e o volume que levará à boca do bebê, este método poderá gerar mais engasgue porque não foi o baby que decidiu a quantidade que deseja comer e muitas vezes quando ele ainda está se deliciando vem outra colherada que "corta o barato" da criança.

Há um tempo pensando em detalhar o BLW, a imagem do bebê que tanto queríamos nos impulsionou a escrever com afinco sobre. O bebê que visivelmente esperto colhe os frutos de um BLW muito bem aplicado se chama Eduardo, filho de Vítor Pizarro e Clarissa Martinelli Pizarro, que orgulhosos com seu rebento nos conta um pouco sobre a introdução alimentar do seu filho.

Dudu não ingere açúcar, sódio, tampouco alimentos industrializados, reflexo de uma boa alimentação de seus pais. Desde pequeno, eles mesclam a introdução tradicional, com alimentos cremosos com os alimentos macios e sólidos. Com um olhar esperto e sob monitoria de um adulto, mostra sinais de autonomia, graças ao direcionamento desde sua iniciação alimentar. 

Dudu e a introdução alimentar

A forçação não existe na casa do Dudu e dos bebês que seguem o BLW, ele decide a quantidade que levará à boca e isso é totalmente comprovado que o bebê será muito mais autônomo no alimentar. Hoje sabemos que existem crianças de 5 anos que ainda comem com ajuda de um adulto, quando já tem idade para comer sozinhos, outros com 8 sem o prazer em comer, porque foi acostumado a comidas misturadas e não foi permitido o prazer em conhecer cores dos alimentos e saber identificar o que gosta. Conhecemos caso de crianças que foram podadas quando se sujavam e a hora do almoço sempre foi uma tormenta, quando deveria ser um prazer.  Outros casos, quando a criança estava começando a se deliciar com a cenoura, a mãe já levava o feijão e essa mistura não é o correto porque o tempo da mastigação do alimento anterior nem foi completada. O BLW é mais livre e existe um prazer em comer.
Introdução de alimentos sólidos
Algumas mães já praticam o método sem saber, quando oferecem uma pera inteira, pedaços de cenoura ou outros alimentos sólidos e macios. Outras, variam entre entre a introdução alimentar tradicional e o BLW. Ambas as formas é um acordo entre filho, família, pediatra e/ou nutricionista materno-infantil. 

É preciso estudar sobre o método para sua perfeita aplicação, entender os benefícios também são importantes: ha um grande incentivo na mastigação, na fala, dentre outros benefícios para o desenvolvimento motor da criança . Alem do que são mais suscetíveis a comer de forma saudável e a ter um bom IMC (índice de massa corporal) na vida adulta.

Sabemos que a papinha oferece maior confiança às mães, pois elas acham que a criança consome todos os grupos alimentares e nutrientes essenciais para uma refeição. Começar a seguir com alimentos sólidos pode gerar insegurança. Por isso é importante ter o acompanhamento de um pediatra ou nutricionista e respeitar se a família tem o perfil para seguir com essa técnica. 

Para ver receitas conforme o método BLW siga nosso instagram: @comidinhasdebebe e no facebook: www.facebook.com/criancassaudaveis

Nenhum comentário: