Bebê pode comer almeirão?

O almeirão é muito amargo se o bebê comer cru, então fiz junto ao arroz e sumiu completamente o amargor.

Já fiz almeirão também na carne e no feijão, como se fosse um tempero e ficou muito muito suave e saboroso.

Fica a dica! Já fiz também arroz com uma outra folha que é bastante picante e amarga, a folha da mostarda e ficou show no arroz. 


Laranja em pedaços

Talvez a imagem do bebê abaixo possa inspirar você a aumentar a textura das papinhas do bebê. 
Sim, eles são capazes! E nos mostra, com uma serenidade tão grande no olhar, que conseguiremos saber lidar com  o medo do engasgo.

Este é o Rafael, o bebê a Rachel Moutinho que completou recentemente 1 ano e já come em pedaços. Palmas para o pequeno Rafa!

Os 7 meses do bebê

Chegaram os 7 meses e com a ele, a necessidade de aumentar a textura dos alimentos não é verdade? Se antes você amassava completamente, hoje hoje deve começar a amassar menos, como na imagem a seguir.

No pratinho tem:


Arroz integral com alho e agrião (mais uma vez use a tesoura de cozinha para cortar ao mínimo o agrião ou qq outra folha), purê de mandioquinha, purê de brócolis com chuchu, peixe no caldo de beterraba.

Vamos aprender a fazer?


Arroz integral com alho e agrião

Numa panela pequena adicione arroz integral (bem pouquinho, tipo 1 colher de sopa e já é muito porque o arroz integral aumenta de tamanho), alho e as folhas de agrião bem picadas. Você pode picar com faca ou até com a tesoura de cozinha.

Legumes
Numa panela tipo vapozeira adicione água no compartimento de baixo e os legumes no partimento de cima, nesta ordem: 1/8 chuchu, 1/4 de mandioquinha, brócolis (2 galhos) e beterraba (bastam dois cubos). 

Quando prontos:
Você deve espetar com um garfo os legumes, se este entrar com facilidade é porque estão perfeitamente cozidos.

Peixe
1/2 filé de peixe sem (todo filé não tem espinho), tempere com alho, cebola e coentro.
Numa frigideira antiaderente refogue o peixe, logo em seguida adicione água e a beterraba amassada.

Simples assim, você terá uma bela papinha super nutritiva para seu baby.



Para ter acesso à receita no momento do cozimento, siga nosso instagram @comidinhasdebebe

A coxinha do Pedrinho. Texto e reflexão de Ana Luísa Alves Lima.

Bom dia minha rede do bem, hoje abri o facebook e me deparo com um texto compartilhado no grupo Lancheira Saudável, grupo querido e de alto conteúdo. O texto é da Ana Luísa Alves Lima, uma história real.

Eu não conseguia parar de chorar ao ler, primeiro porque me veio a memória dos dias que Bêzao ficou internado por síndrome de kawasaki e de tudo que eu poderia fazer por ele e pela comemoração na saída do hospital. Pegamos emprestado o carro amarelo do vovó porque ele amava e passeamos pela orla da praia de Salvador. Foi muita alegria e de tão cansado ele dormiu no carro. De tanto medicamento, de tantas furadas no braço, de tantos exames, de tanto castigo numa cama, sem espaço, sem brinquedos, sem sua casa... Uma coxinha não é nada..

Mesmo eu sendo a idealizadora do blog Comidinhas de Bebê, não sou radical, e me vi nesta mãe... Eu queria abraçar esta mãe que hoje está radiante de alegria pela saída do seu filho do hospital. Xô tapioca com suco verde! Por mais coxinhas! Xô olhares maldosos, xô mães amargas, por mais amor, por favor.

Vale a pena a leitura abaixo:

A coxinha do Pedrinho.

Sento eu, 6:05h da manhã na padaria para tomar meu café e ler meus jornais do dia.
Ao levantar a cabeça, cruzo com um menino `a minha frente, sozinho, com uma tremenda coxinha no prato esperando alguém para devorá-la. Ele me olha encabulado, eu ofereço um sorriso e penso - Nossa, queria eu estar comendo aquela divina coxinha! Na sequência, a mãe do menino que estava ao balcão, retorna e se senta na frente do filho. Retomo a minha leitura.

Como a padaria estava vazia, percebo que entra uma jovem, que ao se deparar com a mesma cena do garoto e sua coxinha, acena negativamente com a cabeça e solta, quase como um suspiro melancólico um "não acredito". Impossível deixar de ouvir, e impossível não refletir por qual razão a jovem reprovaria o prato alheio. Sim, é muito cedo! Sim, isso não é problema dela!

Sigo lendo meus jornais, quando passa por mim o pedido da jovem: tapioca e suco verde. Penso comigo - vish, ela deve ser uma eco-chata, e no mesmo momento me envergonho da crítica, lembrando que `as vezes peço a mesma coisa!

Retomo a leitura. Antes da jovem sair, ela faz questão de reprovar novamente a mãe do garoto, soltando um "ai ai" que me faz parecer que o dia estava terminando e não se iniciando, como era o caso. O que me deixa inquieta na cena, é a imparcialidade da mãe, que eu momento algum se ofendeu com a intromissão e reprovação daquela jovem. Como a mãe estava de costas para mim, não via nada além do convívio feliz com a criança.

Pedrinho termina a sua coxinha e diz alto - mãe, vou lavar as mãos pois não quero ficar internado de novo, e ao passar,  genuinamente pisca para mim. Vejo que em seu bracinho tinha uma daquelas pulseiras que os hospitais colocam na admissão, tanto do pronto socorro quanto na internação, e então saco que o mesmo havia saído de um hospital próximo dali, e aquela estava sendo sua primeira refeição pós alta. Ele está tão irradiante que sua estatura parece grandiosa e iluminada. Ele retorna e dá um abraço longo, entregue e comovente em sua mãe e agradece pela exceção da coxinha, e por ela ter dormido com ele. A cena é tão iluminada e comovente, que passo a acreditar que dita mãe e filho sequer perceberam a presença daquela jovem reprovadora.

Voltei meus pensamentos `aquela moça que repudiou a cena, como se entendesse tudo de nutrição, filhos ou comportamento.

Pois é, nem eu que redijo este texto tenho noção do que aconteceu. Só sei que a alegria daquele garoto comendo aquela coxinha dava gosto; e mesmo que houvessem opções nutricionais mais adequadas para o desjejum, quem somos nós para avaliarmos a vida alheia?

Recentemente um candidato disse que se eleito, iria  mandar construir muros em suas divisas, e penso: e nós? Quantos muros construímos com atitudes assim?

A dica que dou para mim e replico aqui é: pense mais, construa diálogos internos e evite julgar o que não conhece nem vivencia. Nem tentando calçar o sapato do outro a gente consegue experimentar a sua dor,  razão e escolhas.

Um lindo e ensolarado fim de semana para todos nós!
Ana Luiza

"Herói é o que quer ser quem é."

Ana Luísa Alves Lima.


Uma ótima opção para papinha do bebê aos 6 meses

O que tem na sopa do nenê?


Beterraba, batata e couve no vapor.

Frango (peito) refogado com alho, azeite de oliva, cebola e coentro.


Vamos aprender a fazer?

Numa panela tipo vapozeira adicione água no compartimento de baixo e os legumes no partimento de cima, nesta ordem: 1/4 beterraba, 1 batata e logo em seguida a couve flor (2 galhos).
Você deve espetar com um garfo os legumes, se este entrar com facilidade é porque estão perfeitamente cozidos.

Agora já podemos seguir para o frango.
1/2 filé de frango sem pele, tempere com alho, cebola e coentro.
Numa frigideira antiaderente refogue o franguinho, logo em seguida adicione água.
Misture os legumes e amasse no garfo todos os ingredientes.

Simples assim, você terá uma bela papinha super nutritiva para seu baby.



Para ter acesso à receita no momento do cozimento, siga nosso instagram @comidinhasdebebe

Qual o formato correto para BLW 7 meses

Se você tem dúvida quando o formato e tamanho para os alimentos a serem servidos durante a introdução alimentar mediante o BLW, segue um exemplo aos 7 meses.

Corte correto para a pega de tomate, ovos, aipim e macarrão.
Um fato interessante é que este macarrão é de quinoa e amaranto, não é farinha branca.
Incrível né?

Aqui no blog você encontra diversas receitas e no instagram @comidinhasdebebe, você pode interagir e trocar ideias com outras mães que estão antenadas na mesma introdução alimentar.

Macarrão cotovelinho, ops, minhoquinhas

O vídeo que postei no instagram não foi sucesso, kkkkk, porque mostrava o cozimento deste macarrão e no movimento pareciam umas minhoquinhas andando kkkkkk.
Gente, mas é muito bom!!! As crianças amam!

Mostre a mãe artista que você é

Algumas carinhas que tenho feito e surgiu efeito na introdução de alimentos saudáveis.
Tente fazer aí também! garanto que seu filho vai se divertir de montão!

Papinha principal aos 6 meses


🍊Da nova série Introdução Alimentar 🍊

  • Caldinho verde com inhame e caldo de carne caseiro.
    Numa panela refoguei músculo com cebola, coentro e alho, adicionei 5 colheres de água e guardei um pouquinho do caldinho pra finalizar o prato. Ainda nesta panela adicionei mais água, couve bem bem bem picadinha com tesoura de cozinha e inhame em cubos. Quando cozidas amassei com a colher de pau mesmo e por fim joguei o caldo de carne que reservei lá no início, por cima.
    PS.: com esta mesma tesoura de cozinha eu reduzo ao mínimo qualquer folha, até agrião, alface, espinafre, etc...


  • E aí? Quem gostou levanta a mão!!!! 

  • Eu já levantei a minha, rssss


Se você tem dúvidas em como fazer esta deliciosa papinha, deixe um comentário ou nos questione pelo direct do instagram: @comidinhasdebebe

Introdução Alimentar - papinhas aos 7 meses

Observe que aos 7 meses, para quem segue a IA Tradicional (papinhas) deve se lembrar que, de forma gradativa, a textura e consistência dos alimentos deve ser aumentado, um bom exemplo é este da imagem para um bebê aos 7 meses de idade.

Se você deseje acompanhar o momento do cozimentos e participar de forma ativa, siga o instagram @comidinhasdebebe.

Como fazer a comida do bebê aos 7 meses:

Vamos começar a preparar a comida, de preferência em 5 cores, a consistência está gradualmente sendo modificada de macio para mais consistente e a separação dos itens já deve ser feita. Na imagem abóbora, batata doce com açafrão, brócolis com chuchu e macarrão de quinoa com amaranto ao sugo. 

Legumes

Os legumes devem ser cozidos no vapor e amassado em separado conforme exemplo abaixo.

Somente a batata doce que foi cozida em água com 1/2 colher de café de açafrão em pó.

Macarrão (sem farinha branca)
Este macarrão não é feito de farinha branca, ele é feito de quinoa e amaranto e foi comprado pronto.
O macarrão foi cozido em água. Ao escorrer o macarrão foi adicionado molho de tomate caseiro e orgânico.


ALMONDEGA FÁCIL PARA BEBÊ

Você vai precisar de carne moída patinho, aipim e temperos.
Tempere a carne moída com alho e os temperos (cheiro verde).
Refogue numa frigideira antiaderente, a carne patinho solta bastante líquido.
Espere secar.
Cozinhe o aipim com água.
Quando cozidos: machuque os dois ingredientes fazendo bolinha com a mão, para dar liga adicione mais aipim.

Para acompanhar legumes no vapor.




Pratinho da mamãe e o de Bzão:



Fofo né? E o melhor de tudo, estava delicioso.

PARA O ALMOÇO E PARA O JANTAR


Para ficar mais prático, cozinho pela manhã a abóbora do almoço e a do jantar, posso usar muito a criatividade com apenas dois pedaços, assim:

Papinha de abóbora no almoço e sopinha de abóbora no jantar.
Abóbora em cubinhos no almoço e papinha de abóbora no jantar.
Pode-se colocar no cozido também e o resto do cozido faz uma sopinha levinha, sem gorduras.

ARROL INTEGRAL COM CENOURA


Para incrementar um arroz, você pode usar: folha da mostarda, lentilha, couve, almeirão e cenoura. Todas as opções seguem o mesmo passo descrito abaixo:
 Ralei cenoura:



Juntei ao arroz integral:


 Ficou pronto:






VERDURAS NO VAPOR

Uso dois tipos de cuscuzeiro para fazer verduras no vapor: Costumo usar o maior cuscuzeiro quando quero fazer uma sopa para o jantar com as mesmas verduras usadas no almoço.

Além do modelo de um cuscuzeiro, pode ser usado um escorredor de macarrão de inox.  Geram os mesmos efeitos.









Olha só que matéria interressante, sobre o cozimento no vapor, que encontrei no blog: M de Mulher

"O cozimento no vapor preserva 84% das vitaminas do brócolis, por exemplo, contra 40% do cozimento em água fervente. O mesmo acontece com a couve, a couve-flor, a batata, a cenoura, o espinafre e a beterraba. Portanto, se você consumir alimentos cozidos no vapor, estará ingerindo o dobro de nutrientes! Por não precisar de óleo, a comida feita no vapor é recomendada para pessoas com pressão alta e níveis elevados de colesterol e triglicerídeos"

Como deve ser a comidinha aos 12 meses?

Todos que me acompanham sabem que uma das minhas bandeiras é fazer a criança comer a mesma comida da casa, aos 12 meses, assim como preconiza a Sociedade Brasileira de Pediatra.

Portanto como deveria ser uma Papinha principal e/ou doce (para quem segue a Introdução Alimentar Tradicional) ou uma Comidinha (IA BLW) aos 12 meses de idade? A resposta seria: A mesma (saudável) que você come, mas para conseguir  isto, deve-se haver uma evolução gradual nas texturas e tamanhos dos alimentos e esta evolução é realizada mês a mês.

Para saber se realmente as famílias estão seguindo esta orientação da SBP, lancei um desafio no Facebook e no Instagram @comidinhasdebebe para que as famílias mostrassem que isto é capaz, através de fotos.
Estas foram as fotos selecionadas, a mesma comida do bebê está ao lado da mesma comida da mãe/pai.

Se por acaso, seu bebê ainda come pastoso, lembre-se: nunca é tarde para recomeçar. Mesmo ele tendo 12 meses, comece pela textura dos 8 meses e continue aumentando a textura dos alimentos mês a mês. Sem pressa. Cada bebê tem seu tempo


 









.

Mich Moraes @comidinhasdebebe

Nossa contribuição no Portal de Maternidade

Esta matéria está bacanérrima! Acessem agora mesmo:
http://www.essamae.com.br/2015/11/mamae-nutricionista-da-dicas-para.html

Nossas papinhas principais na mídia!

Confere aí, estão super deliciosas:
http://bebemamae.com/alimentacao-do-bebe/receitas-de-papinhas-salgadas-para-o-bebe

Nós no site Bebê Mamãe

Neste link você confere nossa participação:
http://bebemamae.com/alimentacao-do-bebe/receitas-de-papinhas-doces-para-o-bebe

Ameixa

Acompanhe as imagens e veja como dar ameixa raspadinha

Cronograma do bebê

Olha que interessante que achei no Microsoft word 2010, um modelo de Cronograma do Bebê, onde a mamãe anota os horários de alimentação, fralda e pomada.

Procure por "bebê" dentro dos modelos de formulários do word.



POR QUE SE RETIRA A PELE DO TOMATE PARA O BEBÊ?

O bebê não come pele do tomate por diversos motivos. Muitos podem dizer que é por conta da acidez ou por causa da desagradável pelinha ao mastigar, contudo o mais importante é pela extrema carga de agrotóxicos contidos na pele do tomate, usados desde o plantio até a colheita. 

Existem centenas de espécies de insetos que atacam o tomateiro como mosca branca, cigarrilhas, besouros e lagartas, além de fungos e bactérias.

Para evitar estes inconvenientes que incomodam os produtores, usa-se demasiados agrotóxicos, o que levou o tomate a ser um dos produtos mais contaminados com aditivos químicos. Imagine esse veneno na comidinha do bebê? Por isso indica-se a retirada da pele do tomate e/ou fazer uso de produtos orgânicos. Podemos encontrar em diversas feiras e supermercados gôndolas específicas com produtos orgânicos e certificados por órgãos fiscalizadores.

Existem várias formas de retirar a pele do tomate, contudo a mais eficaz é esta que aprendi assistindo ao programa "Que Marravilha", com o carismático Chef Claude Troisgros.

1. Faça dois cortes perpendiculares (em formato de "X");
2. Leve ao fogo com água;
3. A pele soltará facilmente;
4. Prontinho, ótimo para preparação de molhos e comidas de bebê. 










Como fazer seu filho comer alface

Mostre esta foto a ele e que sirva de inspiração, rsss

Caldinho verde com inhame ou cará

Você vai precisar de 1 inhame, carne moída (patinho), temperos (alho, cebola, coentro e tomate).
Iogurte natural para fazer o desenho final da receita.



Refogue a carne com os temperos.



Adicione o inhame em cubos e água.



Após levantar fervura, adicione a couve folha.




Aguarde o cozimento.



Amasse os ingredientes desta forma



Com ajuda de um bico de confeiteiro ou deste bico comum, faça um caracol com iogurte natural



Desta forma:


Se precisar, faça um teste antes (em um prato) para o desenho ficar perfeito.


É preciso um palito de churrasco.