Entrevista sobre orgânicos com a Mestre em Agronomia Arlete Cortês

Comidinhas de Bebê preocupada com a qualidade dos alimentos ingeridos pelos bebês, buscou a mestre em Agronomia, Arlete Cortes Barreto para esclarecer algumas dúvidas sobre orgânicos. A entrevista completa você confere neste momento:

COMIDINHAS DE BEBÊ: Quando eu viajei pela primeira vez com meu filho, preferi fazer as papinhas dele, mesmo fora de casa, este meu ato assustou algumas mães que tentando me ajudar, mostrou-me a praticidade em viagens: levar papinhas prontas. Tentei explicar sobre o alto índice de sódio contidos nestes produtos acompanhados dos “antes”, edulcorantes, conservantes, e logo em seguida perguntei: - Para as papinhas que tem carne: Como uma carne pode ficar fora da geladeira? O que a torna comestível com prazo de validade de mais de 5 anos? Não seria algum forte conservante? Ao que uma das mães respondeu-me de imediato: Quem garante que a banana que você dá é saudável?  E o tomate, pimentão que leva uma grande quantidade de agrotóxicos. Comer frutas e verduras nem sempre é garantia de ingestão saudável. Pensando nisto, nos esclareça algumas questões: Existe realmente este risco de ingerir frutas e verduras contaminadas?

ARLETE CORTÊS: Sim. Porém existem alguns cuidados que podemos adotar para minimizar esses riscos. Um deles você já explica muito bem em seu blog (higienização) e o outro é adquirir frutas e verduras produzidas em sistemas orgânicos.

COMIDINHAS DE BEBÊ: O que fazer para minimizar estes riscos?

ARLETE CORTÊS: Usar preferencialmente produtos orgânicos, que são totalmente isentos de agrotóxicos.  Ou produzidos em outros sistemas de certificação, entre eles: Produção Integrada e Eurepgap, nestes ocorrem a utilização de agrotóxicos de forma consciente, respeitando o período de carência de cada produto. A produção integrada é um sistema baseado no tripé: socialmente justo, economicamente viável e ambientalmente correto, viabiliza a rastreabilidade do alimento e é certificada pelo Inmetro.

COMIDINHAS DE BEBÊ: O que define um alimento orgânico? E o transgênicos?

ARLETE CORTÊS: O alimento orgânico dispensa o emprego de insumos agroquímicos agressivos, é produzido sem utilizar agrotóxicos, além disso a propriedade necessita se enquadrar dentro de normas que envolvem a preservação do meio ambiente, a segurança alimentar, e relações sociais justas. Existe uma legislação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) que norteia a toda a cadeia produtiva. 

Transgênicos são alimentos geneticamente modificados, que pode ser desde inserir fragmentos de DNA de um vírus, bactéria ou fungo no DNA da planta, com o objetivo de melhorar a qualidade, aumentar a resistência às pragas e aumentar a produção. Pode ser genes que codificam a produção de herbicidas, até modificações com o objetivo de enriquecer com determinada vitamina. Com a inserção de genes de resistência agrotóxicos em certos produtos transgênicos, haverá necessidade de aplicação de maiores quantidades de agrotóxicos nas plantações e assim maior quantidade de resíduos de agrotóxicos nos alimentos que consumimos. 
Existe uma grande discussão no mundo científico com opiniões contrárias e também favoráveis aos transgênicos.

COMIDINHAS DE BEBÊ: Qual a diferença entre agrotóxicos e pesticidas? Existem outros que desconhecemos?

ARLETE CORTÊS: De acordo com a legislação vigente, agrotóxicos são produtos e agentes de processos físicos, químicos ou biológicos para uso no cultivo, armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, para alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-las da ação de seres vivos nocivos a elas. Agrotóxicos, pesticidas, praguicidas, veneno, defensivos, agroquímicos, todos são denominações usadas para os mesmos produtos.

COMIDINHAS DE BEBÊ: Por que você acha que as prateleiras dos supermercados estão crescendo com orgânicos? O que eles podem contribuir na saúde das pessoas?

ARLETE CORTÊS: Com o aumento indiscriminado de agrotóxicos nos alimentos durante seu cultivo e o acesso a informação do perigo que estes causam a saúde dos consumidores, as pessoas estão buscando alimentos livres desses venenos que são os alimentos produzidos no sistema orgânico. Os agrotóxicos são prejudiciais a nossa saúde, existem diversas pesquisas que mostram os malefícios que causam para nossa saúde. Os alimentos orgânicos são mais saborosos, tem maior vida útil e auxiliam na prevenção de doenças.

COMIDINHAS DE BEBÊ: Por que o orgânico se torna mais caro?

ARLETE CORTÊS: Os orgânicos são mais caros por vários motivos que gera custos para o produtor, dentre eles podemos destacar: ele precisa contratar uma empresa para fazer a certificação; ao iniciar a produção orgânica é necessário um período de conversão (mudança do convencional para o orgânico); existe maior demanda de mão de obra; a produtividade e escala de produção é menor; falta de assistência gratuita ao produtor orgânico; pouco recurso para apoio à pesquisa e transferência de tecnologia a agricultura familiar. Resumindo são produzidos em pequena escala, demoram mais para produzir e o tempo de colheita é mais demorado.

COMIDINHAS DE BEBÊ: Alguns produtos possuem um selo, como o Orgânicos Brasil, isto nos garante ser orgânicos? Existe uma auditoria que faz esta certificação? Podemos confiar?

ARLETE CORTÊS: O consumidor, deve exigir do produtor que os rótulos dos produtos venham com o selo federal do SisOrg. Os produtos não são pré-embalados, como verduras e legumes, pode solicitar cópia do certificado orgânico do produto ou documento chamado Declaração de Transação Comercial, que tanto o produtor como a certificadora podem emitir. O comprador pode consultar também o Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos, disponível no site do MAPA.

Para a comercialização em feirinha, o produtor sem o selo deve apresentar a Declaração de Cadastro (documento demonstrando seu cadastrado junto ao MAPA). Quando for assim, só o produtor, alguém de sua família ou de seu grupo pode estar na barraca, vendendo o produto. Por exemplo, produtores da agricultura familiar. Para os produtos vendidos em mercados, devem possuir o selo federal do SisOrg em seus rótulos, sejam produtos nacionais ou estrangeiros.
Tapioca sendo preparada
As certificadoras são cadastradas no MAPA e elas (fiscalizadas por este) fazem as auditorias de certificação, que são bem criteriosas. A relação das mesmas podem ser consultadas também no site do MAPA. 

COMIDINHAS DE BEBÊ: Arlete, sabemos que você é mãe de um lindo menino de 1 ano e para não fugir da linha de nossas entrevistas, você poderia nos ceder uma receitinha para bebê, com uma foto deste prato?

ARLETE CORTÊS: Segue uma receitinha que meu filho ama:

Tapioca com carne moída




Tapioca com carne moída

3 colheres de massa de tapioca
100 g de carne moída
3 tomates cereja orgânico
Passas a gosto
Azeite de oliva

Prepara a carne moída com alho e tempero verde (coentro) e reserva.
Colocar a tapioca na panela, quando as bordas suspenderem, coloca a carne, tomate cortado em pedacinhos, as passas e o azeite. Enrola e corta em pedaços.





A receitinha foi aprovada!

COMIDINHAS DE BEBÊ: Arlete, agradecemos imensamente sua contribuição, com certeza ajudará diversas mães na hora da escolha dos alimentos para seus pequenos.

5 comentários:

Anônimo disse...

entrevista útil mesmo. eu já compro somente orgaicos michele.

Clara disse...

Adoro esse blog. Sempre com temas atuais. Parabéns!

Clara disse...

Adoro esse blog. Sempre com temas atuais. Parabéns!

Clara disse...

Adoro esse blog. Sempre com temas atuais. Parabéns!

Cris Cabral disse...

Interessante não só para os bebês como para os adultos também. Não sabia de muita coisa e agora ganhei conhecimento sobre o assunto orgânicos. Parabéns por esta iniciativa!